Uma multinacional japonesa recebeu um engenheiro japonês no Brasil, para treinar os seus empregados.

Passados alguns dias, o japonês chegou para o presidente da empresa e reclamou:

- Japonês muito chateado com brasireiros, né?

- Mas por quê? o que aconteceu?

- Japonês não gostou do aperido que corocaram, né?

- Mas que apelido foi esse?

- Brasireiro chama japonês de hemorroida.

- Mas isso é uma vergonha!

O presidente convoca os empregados para uma reunião.

- Vocês não têm vergonha de fazer uma coisa dessas, chamar esse senhor de hemorroida? Eu não quero mais ouvir isso aqui. De hoje em diante chamem-no pelo nome. Aliás, como é mesmo seu nome? Perguntou, atencioso, o dirigente da empresa.

E o japa respondeu:

- SAI-SANG DUKU