Sutís diferenças…

Imagem

Diferença entre MACHO e MUITO MACHO:

Ser MACHO – É chegar em casa tarde da noite, após uma festa com os amigos, ser recebido por sua mulher segurando uma vassoura e ter a coragem de perguntar: “Vai varrer ou vai voar?”

Ser MUITO MACHO – É chegar tarde da noite em casa, após uma festa com os amigos, cheirando a perfume e cerveja, batom no colarinho, ter coragem de dar um tapa na bunda da sua mulher e dizer: “Você é a próxima, gordinha!”

O Brasil nos dias de hoje…

Imagem

Outro dia estava no mercado quando vi no final do corredor um amigo da época da escola, que não encontrava há séculos. Feliz com o reencontro me aproximei já falando alto:

– Oswaldo, sua bichona! Quanto tempo!

E fui com a mão estendida para cumprimentá-lo. Percebi que o Oswaldo me reconheceu, mas antes mesmo que pudesse chegar perto dele só vi o meu braço sendo algemado.

– Você vai pra delegacia! – Disse o policial que costuma frequentar o mercado.

Eu sem entender nada perguntei:

– Mas o que que eu fiz?

– HOMOFOBIA! Bichona é pejorativo, o correto seria chamá-lo de grande homossexual.

Nessa hora antes mesmo de eu me defender o Oswaldo interferiu tentando argumentar:

– Que isso doutor, o quatro-olhos aí é meu amigo antigo de escola, a gente se chama assim na camaradagem mesmo!

– Ah, então você estudou vários anos com ele e sempre se trataram assim?

– Isso doutor, é coisa de criança!

E nessa hora o policial já emendou a outra ponta da algema no Oswaldo:

– Então você tá detido também.

Aí foi minha vez de intervir:

– Mas meu Deus, o que foi que ele fez?

– BULLYING! Te chamando de quatro-olhos por vários anos durante a escola.

Oswaldo então se desesperou:

– Que isso seu policial! A gente é amigo de infância! Tem amigo que eu não perdi o contato até hoje. Vim aqui comprar umas carnes prum churrasco com outro camarada que pode confirmar tudo!

E nessa hora eu vi o Jairzinho Pé-de-pato chegando perto da gente com 2 quilos de alcatra na mão. Eu já vendo o circo armado nem mencionei o Pé-de-pato pra não piorar as coisas, mas ele sem entender nada ao ver o Oswaldo algemado já chegou falando:

– Que porra é essa negão, que que tu aprontou aí?

E aí não teve jeito, foram os três parar na delegacia e hoje estamos respondendo processo por HOMOFOBIA, BULLYING e RACISMO.

 

*Moral da história: Nos dias de hoje é um perigo encontrar velhos amigos.*

O problema do IPod…

Imagem

“Hoje, eu estava tomando um café no Boteco do Pedrão quando desesperadamente precisei peidar.

A música estava bem alta, então eu calculei para soltar o gasoso em sincronia com o ritmo.

Não deu outra. Lá se foi a feijoada, molho de repolho, e ovos cozidos sendo dispensados no ritmo da música.

Fiquei orgulhoso pelo peidão e, depois da música, comecei a me sentir melhor e mais aliviado.

Terminei meu café tranquilamente e só então notei que todo mundo estava me olhando.

Nessa hora lembrei que estava escutando música no meu iPod!

Nunca mais tomo café ali.”

O enigma de Tó…

Imagem

O carro de Tó pifou enquanto ele passava por um lindo mosteiro.

Em busca de ajuda, Tó bateu à porta e um monge atendeu-o e ele contou o que tinha acontecido com o carro, e o monge convida-o para passar a noite.

Os monges ofereceram-lhe um ótimo jantar e depois encaminharam-no para um pequeno quarto, onde ele iria dormir.

Tó agradeceu e dormiu serenamente até ser acordado por um estranho, mas bonito som.

Na manhã seguinte, enquanto os monges arrumava seu carro, perguntou que som era aquele que o tinha acordado.

– “Lamentamos”, disse o monge. – “Não podemos dizer o porquê do som… Você não é monge!”

Embora tenha ficado desapontado, Tó agradeceu aos monges e foi embora bastante curioso.

Alguns anos mais tarde, Tó passava novamente em frente ao mosteiro.

Parou e perguntou aos monges se podia passar a noite ali, já que tinha sido tão bem tratado da última vez que lá estivera.

Os monges concordaram e ele lá ficou.

De madrugada, ele ouve de novo o tal som estranho e lindo.

Na manhã seguinte, pediu aos monges para lhe explicarem o som.

Mas os monges deram-lhe a resposta.

– “Lamentamos. Não lhe podemos falar acerca do som. Você não é monge!”.

A curiosidade transformou-se em obsessão. Ele decidiu desistir de tudo e tornar-se monge, porque era a única maneira de desvendar aquele mistério.

Então ele informa os monges de sua decisão e começou a longa e difícil tarefa de se tornar monge.

20 anos depois, Tó era finalmente um verdadeiro membro da ordem. Quando a celebração acabou, ele rapidamente dirigiu-se ao líder da ordem, e perguntou pelo som.

Silenciosamente, o velho monge o conduz a uma enorme porta de madeira.

Abriu a porta com uma chave de ouro e essa porta conduziu a uma 2ª porta, de prata; depois uma 3ª de ouro; e depois a 4ª, de brilhantes; a 5ª de pérolas; a 6ª de diamantes; a 7ª de safiras, a 8ª de esmeraldas; a 9ª de rubis; a 10ª novamente de ouro; a 11ª novamente de prata…

Até que chegou à 12ª porta, esta de madeira normal.

Tó encheu-se de lágrimas de alegria assim que viu a origem de tal lindo e misterioso som que ele ouvira tantas vezes durante anos…

Nunca havia sentido algo assim…

Era uma sensação indescritível…

Durante toda a vida ele havia esperado por aquele momento…

Mas, enfim…

Infelizmente não posso dizer o que era…

Você também não é monge!!!

PS: Não me xingue, recebi por e-mail!

O que é pior?

Imagem

Um homem foi ao hospital para remover sua aliança de casamento.

Até aí nada de mais…

Mas é preciso acrescentar um detalhe:

Sua amante, que não sabia que ele era casado, achou a aliança no bolso de sua calça e, furiosa, colocou-o no seu pênis enquanto ele dormia!

A partir disso, ele não sabe o que é pior:

1 – a amante descobrir que ele era casado;

2 – explicar à esposa como a aliança foi parar ali;

3 – ou todo mundo ficar sabendo que seu pênis coube na aliança!

E vamos ao final de semana!

Imagem

Semana curta é uma alegria danada…

A sexta-feira chegou rápido! Acho que poderíamos ter mais semanas curtas no ano, não acha?

Chega de enrolar porque uma grande amiga me espera: a cachaça!

E é melhor eu ir logo, antes que esse cara acabe com todo o estoque do boteco…

Plagiando o Galvão Bueno: Haaaaja fígado!

Beijos pras meninas e chutes abraços pros marmanjos!