Crônica da vez…

(In)Justiça no Brasil

“Aliados de Renan Calheiros se articulam para adiar votação.”
“Promotor acusado de homicídio permanece no cargo.”

O que você viu nas duas manchetes acima poderia ser chamado simplesmente de corporativismo.
No entanto, acredito que a melhor definição para as duas seria INJUSTIÇA (assim mesmo, com letras maiúsculas).
É inaceitável que os brasileiros sejam obrigados a assistir calados a esse espetáculo de horrores.

No primeiro caso um senador, que deveria representar dignamente aos seus eleitores, não consegue explicar de onde tirou dinheiro (como se não ganhasse o bastante) para pagar pensão a uma filha. Pior que isso: apresentou uma série de documentos fraudulentos para tentar explicar o inexplicável. Seria pedir muito que os outros (nobres?) senadores resolvessem logo o problema e tirassem de lá esse sujeito? Ou será que o honesto cidadão em questão conhece a sujeira daqueles que deveriam expulsá-lo e isso impede que a justiça seja feita?
Outras coisas poderiam estar sendo feitas (se é que fazem alguma coisa útil) ao invés de perder tempo com alguém que simplesmente não poderia estar onde está.

No segundo caso um promotor público, que assassinou um rapaz e feriu outro pelo fato de terem mexido com a namorada dele, continuará recebendo mais de 10 mil reais por mês sem trabalhar e ainda terá direito a um foro privilegiado para seu julgamento. Você acredita que ele terá um julgamento sério? Se acha que sim, deve acreditar no papai noel também…

Infelizmente essas duas notícias são apenas exemplos daquilo que acontece todos os dias em nosso país. Certamente outras coisas sequer chegam ao nosso conhecimento. A justiça seria feita se o criminoso não tivesse dinheiro e prestígio. E da pior maneira.
Tenho um amigo que sempre diz “aos amigos tudo, aos inimigos justiça!”. Talvez seja melhor começar a arrumar amigos influentes para poder cometer crimes a vontade por aí…

Você conhece algum político ou juiz para me apresentar?

Alexandre Domingues

Comenta aí